A produção do desenvolvimento da redação e a importância do repertório sociocultural

Por: prof. Laís Carballal

A redação dissertativa-argumentativa exige uma preocupação com os parágrafos de desenvolvimento porque o foco dessa tipologia textual é, justamente, a argumentação. O poder argumentativo deve ser explorado nos parágrafos de desenvolvimento e é nesse momento que você precisa lembrar da sua infância.

Quando crianças, os humanos buscam compreender as razões pelas quais o mundo se formata dessa maneira, consultando – na maioria das vezes – os pais e/ou responsáveis para gerar o entendimento necessário.

Tal busca deve ocorrer na produção de um parágrafo de desenvolvimento, pois, na dissertação-argumentativa é relevante ir à margem do senso comum, isto é, o modo de pensar reproduzido pela maioria das pessoas, adquirido através das experiências, vivências e observações do mundo, mas sem análise crítica.

Sendo assim, para produzir um bom desenvolvimento na redação dissertativa-argumentativa é necessário produzir o senso crítico diante do tema. O termo “crítica” é oriundo do grego “kritikos”, que significa “a capacidade de fazer julgamentos”. Desse modo, no senso crítico, há a análise racional das questões, pois, sobretudo, existe a busca pela verdade e isso só é possível revivendo os tempos de criança e indagando: Por quê?

Desenvolvendo o senso crítico na redação

Para responder as perguntas, é primordial questionar tradições e desenvolver pensamentos que estejam atrelados a trabalhos científicos. Logo, para construir uma boa argumentação, enraizada no senso crítico e capaz de persuadir o leitor à sua tese, utilizar as estratégias argumentativas é essencial, pois elas são responsáveis por sustentar e fortalecer os seus argumentos.

Mas, professora, quais são as estratégias argumentativas?

De acordo com as grandes referências em redação, pode-se citar as quatro principais estratégias argumentativas.

Dados estatísticos

Essa estratégia argumentativa é super eficaz para provar a sua tese sobre o tema proposto na redação. No entanto, não é tão fácil assim produzir essa estratégia, visto que a sua fonte deve ser confiável e os dados devem fazer sentido no contexto apresentado. Dessa maneira, não se deve jamais utilizar fontes e dados estatísticos fictícios.

Entretanto, existem algumas artimanhas que podem ser utilizadas na criação de dados estatísticos como, por exemplo, os termos que trabalham com aproximação. Para quem possui dúvidas, segue o exemplo abaixo:

Tema: Violência contra a mulher

Segundo dados do Ministério da saúde, reunidos no Atlas da Violência, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), foram registrados cerca de 5 mil assassinatos de mulheres em 2017, em uma média entre 10 a 15 homicídios por dia.

(Inspirado na redação sobre Violência contra a mulher encontrada no site: https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/redacao-do-enem-2015-a-violencia-contra-a-mulher-na-sociedade-brasileira/)

Percebe-se, no exemplo citado, que os dados estatísticos não estão precisos (o uso de “cerca de” e “em uma média de” comprovam a afirmação), porém apresentam um cenário concreto de fontes oficiais e apontam interpretações plausíveis das informações. Logo, é relevante manter as informações trabalhadas de maneira consistente e, principalmente, coerente.

Exemplificação

Essa estratégia é muito fácil de ser construída. Nela, você apontará um ou mais exemplos que justificam a sua tese. Nesse caso, se o exemplo for de conhecimento geral, como grandes casos expostos pela mídia, é melhor pois, assim, a compreensão do leitor se torna mais acessível. Observe como isso pode ser feito no seu parágrafo de desenvolvimento:

Tema: Mulheres no futebol

Ao visar tal realidade, percebe-se que a constante tentativa de superioridade, em relação ao futebol, acarreta além da violência, um assédio e desrespeito com torcedoras, que ao tentarem demonstrar seu gosto pelo esporte são hipersexualizadas ou ofendidas em razão do machismo impregnado no futebol. Em um meio tão dominado por homens, diversas jogadoras se destacam, como Marta que superou o recorde de gols feitos pelo jogador Pelé e se tornou a maior artilheira da seleção. O feito evidencia a resistência das mulheres no futebol.

(Fonte: https://redacaonline.com.br/temas-de-redacao/violencia-nos-estadios/153093)

No parágrafo de desenvolvimento sobre o tema violência no futebol, a jogadora Marta foi utilizada como um exemplo de quem sofre a violência do machismo nos estádios. Para gerar uma melhor compreensão do tema, o autor utilizou a principal jogadora da seleção brasileira feminina, o que a proporciona uma maior popularidade e, consequentemente, facilita o entendimento do receptor sobre a defesa da sua tese.

Evolução histórica

A evolução histórica envolve a cronologia, isto é, as noções dos acontecimentos de acordo o tempo e espaço. Dessa maneira, o autor do texto precisa apontar um fato histórico sobre o tema da redação, com datas, locais e explicação dos fatos ocorridos. É de máxima importância não apenas pontuar o acontecimento, mas também explicá-lo. Perceba como esse parágrafo pode ser construído:

Tema: Segurança pública

Em primeira instância, cabe destacar o panorama histórico-político da segurança pública no Brasil que influi em seu perfil hodiernamente. Na época do período militar, acentuou-se o esfacelamento de uma sociedade democrática em virtude da doutrina de segurança nacional, uma lógica puramente autoritária de conduta. Os modelos e as ações de segurança pública limitavam-se à contenção social, com o uso da força e de armas para a repressão. Contudo, essa ótica é perceptível no comportamento das ações policiais que são enfatizadas pelo terror e violência. Um exemplo que permite ilustrar isso foi a ocupação militar da comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro, marcada pelas guerras entre traficantes e os próprios policiais, ceifando centenas de vidas inocentes no meio do conflito.

(Inspirada em : https://blog.imaginie.com.br/dica-de-redacao-tipos-de-paragrafos-argumentativos/)

No parágrafo citado como exemplo de evolução histórica, percebe-se que há a trajetória da criação da segurança pública, determinando datas (no período da ditadura militar) e local (Brasil).

Argumento de autoridade

Por último, a estratégia que demonstra domínio do assunto abordado e que proporciona medo aos estudantes. Todavia, não há motivo para espanto. Afinal, a busca por autoridade é uma tendência dos humanos, pois todos buscam se apoiar nos comportamentos e opiniões que sejam compreendidas como bem-sucedidas em suas áreas. É algo normal da essência humana.

Se você está duvidando disso, vamos a um exercício: Quando você busca por respostas de questões difíceis do seu concurso, acessa qual site?

Tenho certeza que sua resposta foi “Google”, pois ele é a principal referência de sites de busca na atualidade (e também o blog do Curso Maciel). O mesmo ocorre, em outras áreas, como Platão e Socrátes, na filosofia antiga; Bauman e Foucault, na filosofia contemporânea; Camila Coelho, em moda, e por aí vai…

O argumento de autoridade, então, busca sustentar o posicionamento defendido através de uma citação de uma fonte confiável, que é uma autoridade sobre a temática proposta pela redação. Segue, abaixo, um exemplo.

Tema: As relações humanas na modernidade

De acordo com Zygmunt Bauman, que é sociólogo polonês, a sociedade do século XXI é marcada pela falta de solidez nas relações humanas e isso engloba os aspectos sociais, políticos e econômicos. Nesse sentido, ele cria o conceito de “modernidade líquida”, que compreende a lógica do descarte, consolidada pelo consumismo em que as pessoas se comportam de forma superficial, como se as relações fossem submetidas à ideia de um mercado capitalista.

Nesse parágrafo, Bauman é referenciado como autoridade ao trabalhar a questão das relações humanas na modernidade, visto que o filósofo foi o primeiro a pensar na lógica de descarte presente nessas relações.

Dica principal para a construção de um bom argumento de autoridade

Todos os humanos possuem uma bagagem única de conhecimento e com você não é diferente. Então, se você gosta, por exemplo, de séries, filmes, documentários e livros, será fácil construir um argumento de autoridade. Leia muito, assista filmes e com certeza você terá argumentos de sobra para usar em seus textos.

Um dos temas mais abordados no cotidiano é a crise do sistema carcerário no Brasil e, para fortalecer o seu posicionamento sobre a temática, pode-se utilizar o Foucault como argumento de autoridade. No entanto, se você não souber qual é a tese do Foucault sobre o modelo do panóptico, ainda assim é possível criar um argumento de autoridade.

E se Foucault parecer uma leitura pesada, produções como “Prison Break”, “Vis a Vis”, “Orange is the new black” são boas referências. Além delas, os livros e documentários baseados na obra de Drauzio Varella, um importante médico brasileiro, sobre a população encarcerada no Carandiru, também ajudam a ilustrar. Inclusive, um de seus livros inspirou a série Carcereiros, da Rede Globo, que foi um grande sucesso nacional.

Então, todo repertório sociocultural é bem-vindo na sua redação dissertativa-argumentativa. Os parágrafos de desenvolvimento, muitas das vezes, já estão prontos na mente dos estudantes. Hoje, mais do que nunca, aprendemos a validar os múltiplos saberes. Mãos à obra!

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn