O que é coesão textual?

Por prof. Lais Carballal

Imagine o trabalho de uma costureira! Ela recebe, de um cliente, dois tecidos distintos que, de acordo com o trabalho solicitado, devem ser unidos. Com o auxílio da linha de costura, ela vai, pacientemente, cosendo os dois tecidos de maneira que, no fim, tendo êxito no afazer, os dois pedaços de pano se tornam um só. Essa é a ideia básica da coesão textual, da qual vamos falar neste artigo. Avance na leitura se você quer mesmo fazer boas redações!

Como trabalhar os elementos coesivos

A coesão é a missão da costureira, mas deixando de lado a linha e os tecidos, no campo da escrita os elementos de trabalho são as palavras – algumas das quais são conhecidas como Elementos Coesivos. Basicamente, a coesão é importante para que ocorra a união de partes do texto de forma que ele fique bem construído, isto é, com uma boa articulação das ideias apresentadas, objetivando a clareza na escrita.

Os Elementos Coesivos são peças fundamentais para estabelecer relações lógicas entre as partes do texto. São diversos os tipos de elementos que a gramática oferece, mas, dentre tantos que podem ser citados, os mais recorrentes são os pronomes, advérbios e os sinônimos. Eles devem ser utilizados entre os parágrafos e períodos da redação.

Para que isso possa ser melhor visualizado, segue uma lista dos principais Elementos Coesivos que podem ser utilizados numa redação, sendo classificados de acordo com o seu campo semântico:

Campo Semântico

Conectivos

Prioridade e relevância.

Em primeiro lugar, Primeiramente, Acima de tudo, Primordialmente, A priori e Principalmente.

Tempo (Noções de frequência, duração, ordem, sucessão, anterioridade e posterioridade).

Então, Enfim, Logo, Imediatamente, Anteriormente, Concomitantemente, Ao mesmo tempo, Simultaneamente, Nesse ínterim, Nesse hiato e Assim que.

Semelhança, comparação e conformidade.

Igualmente, Da mesma forma, Do mesmo modo, Por analogia, Analogamente, De acordo com, Segundo, Conforme, Sob o mesmo ponto de vista, Como, Assim como e Bem como.

Condição e hipótese.

Se, Caso, Eventualmente, Desde que e Ainda que.

Adição e continuação.

Além disso, Ademais, Outrossim, Como também, Não apenas…como e ou (quando não for excludente).

Certeza

Indubitavelmente, Inquestionavelmente, Sem dúvida, Com certeza e Certamente.

Ilustração e esclarecimento.

Por exemplo, Isto é, Quer dizer, Em outras palavras, A saber, Ou seja e Aliás.

Propósito e finalidade.

Com o fim de, A fim de, Com o propósito de, Com a finalidade de, Para que, A fim de e Para.

Resumo, recapitulação e conclusão.

Em suma, Em síntese, Em conclusão, Enfim, Em resumo, Portanto, Dessa forma, Dessa maneira, Desse modo, Logo, Pois (entre vírgulas), Destarte e Assim sendo.

Causa e consequência.

Por consequência, Como resultado, Na medida em que, Com efeito, Logo, que (= porque), De tal forma que, Haja Vista e pois (Anteposto ao verbo).

Contraste

Pelo contrário, Exceto, Mas, Contudo, Todavia, Entretanto e No entanto.

Ressalva

Embora, Apesar de, Ainda que, Mesmo que, Posto que, Posto, Se bem que e Ao passo que.

Alternância

Ou, Ou…ou, Ora…ora, Nem…nem e Quer…quer.

Proporcionalidade

À proporção que, À medida que, Quanto mais e Quanto menos

Como tornar um texto mais coeso

Abaixo, passo algumas dicas para você usar nas suas próximas redações, tornando-as mais fluidas e com ideias melhor articuladas.

Coesão por substituição

Consiste no uso de um termo no lugar de outro ou de uma oração. É um recurso que evita a repetição de expressões.

Exemplo: A cidade maravilhosa é o melhor desejo de viagem.

No caso, a expressão “A cidade maravilhosa” está substituindo a cidade do Rio de Janeiro.

Conjunção

É a forma de gerar coesão de forma mais recorrente nas redações, visto que a função da conjunção, na Morfologia, é estabelecer efeitos semânticos entre termos ou orações. Sendo assim, as conjunções aditivas, adversativas, causais e temporais são de extrema importância relevância para produzir um texto organizado.

Exemplo: Joana gostaria de ir à praia, mas o dia está nublado. Portanto, ficou em casa.

No exemplo, a conjunção “mas” possui o efeito semântico adversativo. Logo, ela contraria a informação do período anterior, demonstrando que o interesse de Joana de ir à praia não seria consumado por algum motivo. Já a conjunção “portanto”, estabelece a lógica conclusiva, evidenciando o que Joana faz ao não poder concretizar seus planos de ir à praia.

Coesão por referência

Consiste na coesão realizada através do uso de determinados termos como, por exemplo, os pronomes pessoais, pronomes possessivos, pronomes demonstrativos, pronomes indefinidos, pronomes relativos e advérbios de lugar.

Exemplo: Manoel é um bom aluno. Ele será aprovado!

Nesse exemplo, fica evidente a substituição do termo “Manoel por “ele”.

Viu só como nem é tão difícil assim escrever bem? Continue acessando as publicações do blog do Curso Maciel para saber mais dicas de Redação e Literatura!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn